Jinwar : A Aldeia de Mulheres Livres em Rojava

jinwarEm Rojava, o Comitê de Construçom da Aldeia de Mulheres Livres do Kongreya Star [confederaçom de organizaçons de mulheres em Rojava,] começou a construir umha aldeia de mulheres chamada “Jinwar” contra a violência contra as mulheres.

Enquanto as mulheres, quem criarom a revoluçom em Rojava, continuam a construir a vida, continuam as suas originais obras em todos os lugares. Começou-se a construir umha vila perto da cidade de Dirbesiye no cantom de Cizîre. A aldeia de mulheres que se chama  “Jinwar” começou a ser construída so pola solidariedade das mulheres. As obras de infra-estrutura da aldeia da vida, que é umha alternativa à violência contra as mulheres, continuaam. Em fevereiro, casas de tijolos de barro seram construídas com base nos princípios da vida ecológica. Os detalhes do projeto seram compartilhados mais tarde. O Comitê de Construçom da Vila das Mulheres Livres do Kongreya Star emitiu umha declaraçom de imprensa enquanto as mulheres estavam plantando sementeiras. Heval Rumet, da Academia de Jineologia, homenageou as irmás Mirabal em ocasiom do 25 de novembro como o Dia Internacional para a Eliminaçom da Violência contra as Mulheres e afirmou que poram em prática o projeto da aldeia de mulheres de Jinwar contra a violência contra as mulheres.

Heval, assinalou que as mulheres tinham enfrentado um genocídio das mulheres, dixo: “A ideologia de gênero pom os homens como potenciais assassinos de mulheres. A vida de cada mulher sem auto-vontade, auto-consciência, auto-organização e auto-defesa está em perigo. As mulheres, cuja vida física nom está em perigo, tenhem enfrentado a sua língua, sua cultura, seus sentimentos, seus pensamentos e seu trabalho para ser roubado e destruído. Nesse sentido, ficar de pé contra o genocídio das mulheres requer umha organizaçom multilateral e trabalhar com amor. Os projetos e as luitas exigem que se garanta que o nome da mulher nom seja referido à morte, mas a nossa cultura histórica iguala-a a vida novamente.”

Heval enfatizou que continuariam com grande asserçom e crença a desenvolver os espaços livres das mulheres sob a liderança da Jineologia, a ciência da Mulher-Vida-Sociedade e criaçom das mulheres livres. Heval expressou que plantaram sementeiras por todas as mulheres mortas e submetidas a agressons.”

1_jinha_logo_b_enPublicado em Jinha, Agência de novas feita por e de Mulheres, agora mesmo ilegalizadada em Turquia e com várias jornalistas presas em Turquia.