Por que é importante parar a “guerra da Turquia contra os curdos”?

Why it is Important to Stop Turkey’s War On The Kurdspor Memed Aksoy

Mália que o artigo está feito para a manifestaçom de Londres, considero que é também muito claro para qualquer outro lugar.

Vários grupos de solidariedade curdos e nom-curdos de todo o espectro político estam organizando umha manifestaçom o 06 de março de 2016 em Londres sob a lenda “Parar a guerra da Turquia contra os curdos.” Esta é a primeira vez na história que umha manifestaçom nacional está a ser organizada nesta escala em solidariedade com os curdos. Vem em um momento crucial para o povo curdo, mas também para todos os povos do Médio Oriente.

As atrocidades cometidas polas forças do Estado turco em vários bairros curdos desde julho do 2015 som a ponta do iceberg em relaçom ao que poderia acontecer no Curdistam do Norte, a Turquia e o resto da regiom se esta guerra nom é parada. 178 pessoas forom queimadas vivas, incluindo mulheres e crianças em 3 ‘sotos da morte’ em Cizre em fevereiro; centos de outros forom mortos em Sur, Idil, Nusaybin, Dargeçit, Silopi e em outros lugares desde a implementaçom dos bloqueios marciais e cercos. Mais de um milhom de pessoas forom deslocadas e os distritos mencionados acima transformarom-se em paisagens distópicas por equipes e soldados especiais das forças policiais usando artilharia, tanques e substâncias químicas.

A juventude curda principalmente, estam tentando defender essas áreas, cavando trincheiras e erguendo barricadas no que se transformou em umha guerra urbana, por primeira vez na história do conflito entre o Estado turcos e os curdos. Outros, como Abdulbaki Somer, o autor do atentado Ancara, em um estado de desespero sentido por muitos curdos, tentou vingar-se atacando o Estado turco no seu próprio quintal. Sabemos que “a guerra é umha continuaçom da política por outros meios”, mas deve haver umha outra maneira de acabar com este conflito, que se parece cada vez mais a umha guerra civil. E todos nós sabemos o que isso significa, se olharmos do outro lado da fronteira com a Síria; polo menos 11 milhons de deslocados, 470.000 mortos ou feridos, um habitat inteiro arrasado e todo um país destruído.

O atual conflito no Curdistam do Norte também é umha extensom da guerra na Rojava e Síria. Embora seja um assunto complicado com as alianças que se sobreponhem, mudanças diárias e realpolitik, a única constante da guerra tem sido a inimizade da Turquia contra a Revoluçom da Rojava e o seu apoio a grupos jihadistas para luitar contra os ganhos de Rojava. O temor a que Rojava ganhe reconhecimento internacional é tam grande que Erdogan admitiu que cometeu o erro de permitir que os curdos no sul do Curdistam (N.Iraq) obter a autonomia, mas nom vai repetir o erro cometido na Síria, mesmo que leve a um conflito regional. Assim, a Turquia continua alimentando a guerra em Rojava e Síria, criando e apoiando, marcas de banda cada vez maiores de mercenários na sua fronteira, que está tornando mais difícil um cessar-fogo sustentável ou conversaçons de paz. A política sectária do governo do AKP também está alimentando a guerra e o caos no Iraque, que está mantendo os curdos dependendo do Estado turco.

A fobia dos curdos da Turquia deriva da fundaçom da República Turca que foi construída sobre a negaçom e aniquilaçom dos curdos especificamente e de qualquer cousa nom-turca em geral. É por isso que a igualdade, um status e reconhecimento para os curdos em qualquer lugar é considerado como umha ameaça para o Estado-naçom turco e a sua soberania. E isso é. Porque a igualdade e reconhecimento dos curdos vai significar umha constituiçom e sociedade plural, inclusiva e democrática, bem como as bases da democracia radical em toda a Turquia, Curdistam do Norte (Bakur) e do Curdistam Oeste (Rojava). Este é um anátema para o AKP e grande parte da elite dominante turca, tanto à esquerda como à direita. Por isso, o governo do AKP e Erdogan estam-se tornando cada vez mais autoritários, nacionalistas e por falta de umha palavra melhor fascistas. A proibiçom de jornais e canais de televisom, a prisom de jornalistas, acadêmicos, ativistas de direitos humanos e políticos eleitos e a militarizaçom e islamizaçom da sociedade som todos indicadores perigosos que a Turquia está em caminho da destruiçom.

Há umha tendência nos seres humanos de tomar medidas, umha vez que é tarde demais. As condiçons agora estam para a guerra total ou umha paz duradoura. O resultado só pode ir de duas maneiras entre os curdos e turcos. A guerra da Turquia contra os curdos está derrubando as escalas em favor do conflito, devemos apoiar em favor da paz. O silêncio dos governos, dos meios de comunicaçom e organizaçons internacionais precisa ser e vai ser quebrado polas pessoas. Nós nom poidemos impedir a guerra civil na Síria; imos impedi-la na Turquia e o Curdistam do Norte.

A característica mais importante desta demonstraçom é que está sendo organizado por pessoas de todo o mundo, nom so curdos. Espero que a ideia se espalhe por todo o mundo e as pessoas, em solidariedade com os curdos e os povos do Oriente Médio vam se juntar para dar um golpe contra as políticas imperiais, intromissons e imposiçons das chamados ditaduras regionais e e regimes opressivos, bem como as “superpotências”.

Parar a guerra da Turquia contra os curdos significa evitar a guerra civil na Turquia e Curdistam do Norte, isso significa parar a morte, destruiçom, deslocamento e migraçom, significa contribuir ao fim da guerra na Síria, Iraque e em toda a regiom, significa fortalecer o terreno para umha soluçom política e pacífica para a questom curda na Turquia e significa o fortalecimento da democracia, direitos humanos, fraternidade e liberdade no Oriente Médio para todos.

Nota: Existem entre 400,000-500,000 curdos e turcos que vivem no Reino Unido, principalmente em Londres. Cada um deles tem família, amigos e seres queridos que vivem na Turquia e Curdistam do Norte. A maioria deles nom têm conhecimento ou sente-se impotente diante do perigo que estamos enfrentando. Este é o dia no que cada curdo e Turco deve sair para exigir um fim a esta guerra que ameaça quebrar a sociedade e levar a Turquia de volta cem anos atrás.

Publicado em Kurdish Question, para mas informaçom em: www.stopwaronkurds.org